sábado, 17 de março de 2012

Cães famintos por SEXO e ORGIAS


Menina... Teus seios ainda não têm mamilos
Tua boca pequena, teus lábios não sabe soletrar,
O oceano que você conhece é uma lua obscura,
Palmilha pelas calçadas, a ganhar o sustento dos filhos,
Chorando de dor e desespero, Oferece teu sexo
Aos velhos marujos, que concordam em pagar...
 Pouco a pouco, teu corpo padece menina nova
Quinze anos... Já está “velha”, és carne trêmula
Nas ruas das grandes cidades e nas periferias,
Uma luta constante, a bandeira do tráfico flâmula
A noite o gemido das adolescentes em orgias...
Autoridades e senhores do tráfico, comungam...
Do mesmo ventre podre da hedionda corrupção.

Sai sangue, a dor é intensa e o gemido é prolongado
Negros, mulatos, aloirados, aloprados, doidos zumbis
Lambem os beiços... Banqueteando-se do vil pecado.
Chupando o sangue inocente de uma criança  branca
Olhando a parede, o crucifixo imóvel, cobre queimado
Naquela imagem, não é o meu Cristo. Olha extasiado! 
O globo ocular saiu de rotação, e o esforço foi fenomenal,
lutando contra a imposição
da natureza hostil e desumana carrega nas páginas da alma, 
A lição da dor de ser violada...
Onde estaria seus pais padres e pastores perdendo tempo
com discursos vazios, nos seus templos vazios. 
É a realidade insana Cães famintos por Sexo e Orgias 
escaparam dos muros de Sodoma e Gomorra, 
e a noite saem vaguear pelas cidades.
No topo dos desejos impuros da carnificina está a Pedofilia.  



Um comentário:

  1. Tive um enorme prazer de visitar seu blog e constatar o qto DEUS é bom,usando as suas palavras neste post e sendo instrumento de edificação á mtos.Eu por exemplo pude me retratar em vários posts.Parabéns.
    possa DEUS usa-lo mais e mais.
    Obs:repassei suas postagens e seu blog no meu blog ,caso ñ aceite me comunique o mas rápido possível.grata danila.☺

    ResponderExcluir